América Latina avança na certificação para produção de software

loading screenA América Latina sempre é lembrada como uma região ideal para a terceirização de serviços de tecnologia da informação (TI) -- seja por atributos específicos de seus países ou por sua proximidade tanto cultural quanto econômica e geográfica com os Estados Unidos. É importante perceber algumas iniciativas nascidas dentro da própria região para desenvolver o seu mercado local, como o programa MPS.BR (Melhoria de Processo do Software Brasileiro), promovido pela agência Softex Brasil.
 
O objetivo é aumentar a competitividade de pequenas e médias empresas brasileiras por meio da melhoria de seus processos de desenvolvimento de software, o que acontece por meio da capacitação profissional. Sabe-se que um dos piores problemas do mercado brasileiro hoje, neste segmento, é a falta de profissionais qualificados.


O projeto tem o importante apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação do Brasil, do FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e do SEBRAE, que são entidades fundamentais na hora de se viabilizar financeiramente projetos de pequenas e médias empresas. Conta também com a participação de universidades, centros de pesquisa e um grande número de instituições e profissionais da área de qualidade de software.
 
Agora, o MPS.BR começa a se expandir por outros países da região. O programa realizou virtualmente pela primeira vez, no fim de novembro, as provas de conceito de dois cursos oficiais por meio de Ensino a Distância (EAD). A iniciativa integra a RELAIS (Rede Latino Americana da Indústria de Software), que conta também com o apoio do BIS. As provas foram realizadas em português no Brasil e em espanhol no México, na Colômbia e no Peru. O sucesso foi tão grande que os cursos poderão ser expandidos para outros países em breve.
 
“Esta iniciativa da maior importância na medida em que contribui para o aumento da visibilidade do modelo MPS e para sua crescente aceitação e reconhecimento internacional como modelo de qualidade em diversos países”, explicou na época José Antonio Antonioni, diretor de qualidade e competitividade da SOFTEX.
 
Quem formulou a prova foi uma universidade brasileira, a unidade de ensino a distância da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). A entidade definiu a metodologia de ‘e-learning’ para capacitação de pessoas nos modelos MPS/Brasil e MoProSoft/México, e empregou o ambiente virtual "Moodle".
 
A primeira prova virtual de conceito, que foi de Introdução ao MPS, contou com 97 participantesestudantes dos quatro países. Destes, 65 (67%) receberam da SOFTEX o certificado de participação por atenderem 75% dos requisitos desse curso. No Brasil, 18 dos 20 alunos receberam certificados de participação (90%); na Colômbia, 21 dos 24 (88%); no México, 18 dos 30 (60%); e no Peru, 8 dos 31 (26%).
 
“O ambiente virtual e os cursos foram muito bem avaliados pelos alunos, e foram feitas sugestões para aprimorá-los antes de promovê-los regularmente a partir de 2013 não só nesses países, como também em outros da América Latina e do Caribe”, comenta Kival Weber, coordenador-executivo do programa MPS.BR.
 
De julho de 2004 a outubro de 2012, 5.221 pessoas foram capacitadas no modelo MPS em cursos oficiais presenciais e também a distância (EAD). Desses, 1.338 foram aprovados em provas oficiais.

Topics: brazil, software development, terceirização de serviços de tecnologia da informa, Latin America, IT Outsourcing, desenvolvimento de software, MPS.BR (Melhoria de Processo do Software Brasileir, The Process of Creating, Softex Brasil

What is Nearshore?

Nearshore is "the transfer of business or IT processes to companies in a nearby country, often sharing a border with your own country", where both parties expect to benefit from one or more of the following dimensions of proximity: geographic, temporal (time zone), cultural, linguistic, economic, political, or historical linkages.

Posts by Topic

see all
To top